nome

Lágrimas começaram a cair dos olhos assustados da Menina Alface.Em meio a soluços se sentiu muito pequena e olhou para um… sorridente Tiago, assustada não acreditou quando ele começou a gargalhar.
As lágrimas foram cessando e algo estranho começou a acontecer e ela se levantou de um pulo só e começou a andar furiosamente sem saber pra onde.

Tiago começou a correr atrás dela, ainda rindo;
– Eeeei,menina!Espere! Viu? Pelo menos parou de chorar!

Conseguiu alcança-la e fez ela parar de correr.
“Você tá assim por causa de um nome?Levante esse rosto e conquiste um, se isso é tão importante para você”
És especial menina,ninguém tem uma história igual a tua…
Sentiu um chamado,algo começou a questionar dentro de você em sua vida alface.E olhe onde está agora.
Que poder que vocÊ tem!!”

O olhar grandão e curioso da Alface deixaram Tiago meio sem jeito,então emendou:
“Então para com todo esse dramalhão!”

-Mas,menina…-murmurou Tiago- Você me lembra uma amiga, que sempre estava em busca de algo,mas que nunca encontrava.Havia uma tristeza imensa em seu coração,dificil de compreender…
-Eu lhe chamarei de Annie.
-Alface Annie.

Anúncios

12 de Junho

Irei voltar um pouco no tempo, antes de eu encontrar a Ilha .Antes de eu me tornar a virar a alface vegetativa de novo. 

Estava andando pelas ruas onde reparei vários casais que andavam juntos de mãos dadas e tals, descobri depois que se intitulavam de “namorados”.Mas era tão estranho, via homens com um falso brilho no olhar onde a sua companheira ficava pequena, uma sombra perto dele,enxergava mulheres frias,com um jeito que me dava calafrios, vi a correria do mês de junho onde depois me explicaram onde tem uma data especifica chamada de “dia dos namorados” ,pessoas comprando presentes pra lá e pra cá e outras tantas pessoas tristes e sozinhas .Era uma coisa tão estranha o que presenciei,comecei a me sentir pequenina, sem saber o sentido de tudo isso.Escureceu,as luzes da cidade são lindas a noite,mas contrastava com o vazio que eu sentia em meu coração. 

Site Da Imagem :Helio Ribeiro

Estava frio, comecei a tremer,foi aí que um senhor com um sorriso cativante me perguntou se eu não queria me aquecer numa fogueira improvisada que tinham feito,aceitei aconchegada pela simpatia do senhor. O nome dele era Antônio, e ele me contava que ele tinha sido muito feliz até a esposa dele morrer por causa de uma doença com o nome de câncer.Como não tinha como comprar remédios,e pagar o caro tratamento além de perder td o que tinha, tb perdeu o que lhe era o mais impotante,sua esposa, mas ele me disse que não se arrepende de nada,que passaria todo o sofrimento de novo,para conhecer e sentir o amor que teve e TEM com sua esposa ,pq o sr.Antonio me disse que o amor não morre.Ele me olhou bem fundo em meus olhos, e disse que se algum dia eu sentir alguma coisa parecida com o amor e se aquilo terminar,não foi amor o que eu senti.Por que o Amor não acaba. Tudo passa.Menos o Amor. 
Eu comecei a me sentir tão bem perto dele. Como se adivinhasse meus pensamentos ele me disse para não me sentir sozinha.Por que eu era um ser muito especial e que tinha muito Amor dentro de mim.Sabe gente,nunca me senti tão aquecida e em paz como aquela noite,ouvindo as palavras daquele senhor que parecia saber de tudo e não me fazia perguntas,como era normal acontecer.Adormeci com ele cantarolando uma suave canção. 
Acordei embrulhada em um cobertor quentinho e um envelope em meu colo,dentro havia um pouco de dinheiro e um bilhete escrito : Boa Sorte, Encontrará o que busca. Se cuide. 
Feliz dia 12 de Junho – o Dia do Amor como todos os outros dias 
Alface Menina

um nome

Tiago,é o nome do rapaz de olhos profundos. Ele sabia que tinha de deixar a Menina Alface caminhar sozinha por uns tempos.Levaria algumas frutas que tinha colhido e conversaria um pouco para que ela não sentisse tão perdida.Dando um profundo suspiro 
foi em direção da Menina Alface. 
A Menina Alface estava assustada pensando que estaria sozinha de novo, foi quando ouviu os passos e observou Tiago aproximar-se. 
– Vejo que já acordou, coma essas frutas.Deve estar com fome… 
A menina, pegou as frutas e comeu calada. Sentiu que o rapaz estava pensativo e triste.E por uma estranha razão desejou ardentemente que ele não falasse nada.Sentiu a solidão vir com tudo. 
De repente ele perguntou: 
-Como se chama? 
E ela olhou assustada pra ele 
-Você tem um nome,não tem? – perguntou, sorrindo. 
A menina Alface teve vontade de chorar,se sentiu uma pessoa de existência nula pq só agora percebeu que não tinha um nome!!!

O rapaz de olhos profundos pegou em minha mão e paramos embaixo de uma árvore.O céu estava limpo,estava uma temperatura amena quase beirando a um friozinho gostoso.
Ele me disse para não ter vergonha do meu medo.Meu medo era um processo natural para obter a coragem e a busca de um sonho,sem o medo não conseguíriamos crescer.Falou do seu passado.Enquanto ele falava essas palavras.Eu senti uma vontade incrível de chorar.E comecei a soluçar,estava assustada,com vergonha de me expor tão frágil a um recém conhecido… 
Não sei o que aconteceu que acabei adormecendo e acordei quando já estava td escuro com um cobertor me cobrindo.Me senti mais assustada e sozinha.Nunca me senti tão sozinha qto naquele momento.

o rapaz..

O rapaz sentiu a brisa do vento, e percebeu nos olhos da Alface Menina td o que tinha passado antes,lembrou-se do seu medo,da sua solidão,o sentimento de revolta que sentia qdo não conseguia entender o porque das coisas.Foi aí que percebeu que não adiantava tentar encontrar resposta.Muitas vezes era preciso saber esperar.Ter paciência.