A Caixa de Pandora

A Caixa de Pandora

Annie dos Ventos

Pandora desperta uma grande curiosidade a qualquer um que a observe,dona de uma beleza excêntrica,alguns a considerariam até feia, mas quem conseguisse enxergar além,seria agraciado com algo quase irreal,uma aura sutil e bela da qual não conseguiriam parar de ficar admirando-a.
Mas Pandora não tinha consciência no que despertava a sua volta, gostava de ficar contemplando as pessoas, a natureza,a vida. Os olhos das pessoas eram muito interessantes,alguns traziam consigo um brilho sagaz quase cruel,outros uma inocência de quem pensava poder salvar o mundo, mas que não era nem capaz de salvar a si mesmo, uns eram alegres,outros tristes.Havia sempre extremos opostos,o que Pandora não conseguia entender era o por que daquilo tudo.Havia guerra e paz,harmonia e intriga tudo num mesmo lugar.Mas alegrava que mesmo depois de uma noite fria e escura,com o vento parecendo sussurrar lamentos que viravam uma cantoria assustadora,o dia seguinte muitas vezes nascia com o Sol aquecendo a todos e o Vento sussurrando uma melodia doce.
pandoraGostava de ouvir as historias que as pessoas vinham lhe contar.Sorria ao perceber que uma mesma situação ganhava tons dramáticos,engraçados,sombrios,sinistros,alegres nos lábios de diferentes pessoas.
Estava observando a rua como de costume,sentada no banco em frente a sua casa quando uma certa algazarra lhe chamou a sua atenção. Um jovem, a quem nunca havia visto antes,segurava uma misteriosa caixa.Os olhos dele se encontraram com o dela, e ela soube naquele instante que sua vida mudaria para sempre.

Continuar lendo