Queria

 

Queria eu poder respirar a Liberdade.
Sonhar sonhos enluarados, sem questionamentos
E nem respostas.

Quisera eu poder soprar como o vento
E estar em norte,sul,leste,oeste.
Mas tenho a minha imaginação
E já é um grande presente.

Wanted

I wanted to breathe Freedom.
Dreaming dreams moonlit unquestioningly
And no answers.

I wish I could blow like the wind
And be in north, south, east, west.
But I have my imagination
And it’s a great gift.

Annie dos Ventos

enxergar além

Existe um certo encanto, uma beleza, um brilho naqueles que conseguem ver além das sombras, que chamam lagartas de borboletas. A esses muitos os chamam de mestres… 
Os artistas pintores exercem uma rara magia em suas telas, captam tristezas, alegrias, mistérios, essências sutis que pairam no ar, estes também possuem uma visão diferenciada, mas acho que não os chamaria de mestres. 
Os escritores com seus montes de papéis e anotações,livros,palavras rabiscadas aqui e ali juntam situações, por vezes conduzem multidões,e se descobrem a si próprios em suas palavras, ah,os artistas pintores também, se desvendam a si próprios em suas imagens.
Não os chamaria de mestres, mas gostaria ,me soa melhor ao chama-los de pessoas de fé. 
Para aqueles que conseguem verdadeiramente sentir o que é a fé. 
Somos deuses,somos demônios,somos anjos,somos elfos,somos gnomos,somos duendes,ou talvez não sejamos nada,em um tudo compartilhado. 
Por algum tempo estive batendo em uma tecla, não busque no exterior, as respostas estão dentro de você.Mas será que estão mesmos? Se somos parte de um todo, não conseguiríamos parte das respostas no todos? Eu sei, acho que ninguém está entendendo nada com nada.Tentarei explicar melhor.
Hoje talvez eu saiba qual a missão de todos aqui na Terra. Afinal o que estamos fazendo aqui, qual o objetivo.Compartilharam comigo essa resposta, e então fiquei refletindo que em se tratando do todo as respostas estão no externo, eu hoje sei o que TODOS tem como missão.Mas a minha parte, a minha missão ainda é um quebra cabeça onde ainda apenas tenho algumas peças.Preciso ir ajuntando…. 
Bem terminarei aqui o meu relato que muitos devem considera-lo no mínimo estranho :b 
Cafunés e Muita Luz. 
E sintam a energia do Sol…

Nota

Scanner!!

Eeeeeeeee!! eu estava com uma impressora quebrada jogada num canto, e hoje fui tentar ver se ainda funcionava a digitalizadora!=) Funcionou!!! Fiquei muito feliz pq um mundo de possibilidades se abriu para mim, vou poder scannear meus desenhos e ver o que apronto de arte por aqui!

Um montão de cafunés inspiradores!!!

Estação Waterloo

estacaowaterloo

Faz um tempo, li um livro apaixonante: Estação Waterloo, faz você ficar com vontade de ter alguém ao teu lado e perguntar  se um amor tão companheiro e intenso assim é possível? Amor que faz crescer mesmo longe e que supera o horror da guerra e até da morte? É possível quando se acredita,enquanto existir o sonho e a ternura dentro de seu coração.
Vou deixar a poesia que é o ponto chave do livro falar por si só :)
Cafunés e muita Luz

[ A Rosa e o Cervo

Ao deparar com ela na escuridão,
ele encontrou apenas uma inacabada criatura de Deus,um
vago projeto de intenção,uma acendedora de lampião,suave
Sua mão pequenina se estendeu para despertar o pavio com a chama
E ele viu que seus olhos eram tempestuosos…

Nos versos subsequentes detalhavam o relacionamento entre o homem,um construtor de navios conhecido como o “Cervo”, e a mulher,uma acendedora de lampião conhecida como a”Rosa” .Embora o poema tenha um final feliz e os personagens terminem passando o resto de suas vidas juntos,no último verso a Rosa tem um sonho horrível,um pesadelo no qual o Cervo a abandona:


Seu lampião ainda estava aceso,mas ele já não via,
Pois mudara no inverno,como fazem os cervos,
endurecendo livre na natureza.
E ela já não era flor para ele,
mas uma simples mulher,imperfeita.
Ela não acreditava que ele fosse tão cruel.
Mas ele a deixou ali,uma rosa por toda a eternidade,
depois virou lhe as costas e partiu.

“-Mas por que Slayton lhe dá esse sonho horroroso?-perguntou Maude a Stephen quando ele terminou de ler o poema-Ela agora tinha tudo o que queria,e os dois estão felizes juntos.Por que sua felicidade tem que ser estragada?”
“-Acho que,mesmo quando a verdadeira felicidade chega,sentimos medo de que ela possa acabar.Mas você tem razão,eles estão felizes no fim. Slayton está nos contando que a rosa vai sempre ter suas angústias,porém,apesar dessas preocupações,os dois ficarão juntos para sempre.”
Stephen Kendall lera o poema inteiro em voz alta para ela,todas as estrofes,dando-lhe vida com sua voz.Foi como se ele tivesse vivido uma amor parecido,pensou Maude, recostando-se no estofamento de couro marrom e olhando seu tutor à luz que atravessava o vidro da janela do estúdio.Como podia falar de modo tão comovente do amor romântico se nunca o tivesse experimentado?Convenceu-se que Stephen Kendall tinha um casamento perfeito e que sua mulher era alguém parecida com ele:jovem,bonita e terna.Era tudo o que desejava para ele,percebeu Maude, e tudo que ela desejava para si mesma algum dia.]

trecho retirado do livro Estação Waterloo de Emily Grayson 

 

Equilibrius

Esse é um conto degustação de presente para vocês! =)
Equilibrius é um personagem muito querido do meu livro Enigma da Aliança .
Espero que apreciem! Me contem quais foram suas impressões!

Equilibrius
Annie dos Ventos

Bem no inicio da criação da Terra, havia um ser divino gracioso e brincalhão que nutria uma afeição muito grande pelos seres humanos.
Quando o Grande Espírito estava prestes a destruir os homens ,cansado das promessas vazias dos humanos de melhora e de sua cegueira, este ser divino que vamos chama-lo aqui de Equilibrius, interferiu em favor dos seres de duas pernas da Terra.
Para que o Caos não tomasse conta , Equilibrius alimentava a fúria e todos os sentimentos desoladores que os humanos emitiam tranquilizando-os com gotas de seu sangue, que era um poderoso elixir e fonte de energia para os humanos.


Equilibrius não encarava aquilo como um sacrifício, ao contrário, alegrava-se muito por poder fazer aqueles seres que sabia terem dentro de si um potencial belo e divino terem a chance de descobrirem isso.


O Tempo não parava e muitas vezes Equilibrius esteve prestes a se extinguir pois os humanos estavam cada vez mais em baixa sintonia e o Caos cada vez mais forte .Com isso tinha que despejar uma grande quantidade de seu sangue na Terra por segundo!

Mas quando pensava que já não tinha volta, pequenos grupos surgiam mudando toda aquela atmosfera densa. Equilibrius se alegrava, mas a fase durava pouco e novamente os humanos deixavam o Caos se fortificar.

Aquilo parecia um ciclo vicioso.

E Equilibrius estava se cansando, a sua afeição estava diminuindo e uma saudade de tempos antigos onde ele era livre para se expandir em várias dimensões, aumentava cada vez mais dentro de si.
E a fase densa estava durando mais tempo de que costume. E chegou a conclusão que era ele quem estava alimentando o Caos.
Não podia proteger os humanos para sempre.

Então decidiu que o percurso do Caos seguisse seu curso natural. E chorou por muitos tempo, em profunda tristeza.
Na Terra , a Tempestade inundava os quatro cantos do mundo.O vento também estava furioso. Muitos dias de tragédia naturais se sucederam. Quando a Natureza pareceu se acalmar.O mundo entrou em guerra.A água se tornou escassa. Dias terríveis se seguiram na Terra. Mas algo começou a acontecer, as novas gerações já não traziam consigo o ódio e a ganancia dentro de si, tímidas flores,ervas e arvores começaram a florescer.A época de ouro se instalou.

E foi nessa época que Equilibrius parou de chorar e foi viver sua vida, liberto de sua tarefa, ele se expandiu e se espalhou por todo o Universo , conhecendo novos povos. E feliz foi visitar a Terra, com um pouco de receio do que poderia encontrar.Para sua surpresa, encontrou um povo fraterno e feliz.
Foi aí que conheceu uma graciosa e misteriosa mulher chamada Helena…
Mas deixo essa narrativa para uma outra história ;)