Três Homens Vazios e Cheios – Parte IV

Uma Luz Distante  por Elena Dudina

Imagem: Uma Luz Distante
de Elena Dudina

 

Passos tímidos e leves chegaram aos ouvidos de Alice.
A sua alma que observava tudo com olhos assustados e inchados pela lágrimas. Parou de chorar.

O terceiro homem se aproximava.Lenta e Suavemente. Ele parecia um sopro de vento.
Alice quase esboçou um sorriso mas não conseguiu.
Ficou com medo de novo.Que coisa horrível ela iria sentir?
Gritou de dor. Aquele homem vazio e cheio a machucava com sua aproximação.

Será que ele era assim pior que os outros dois?

Olhar pra ele dóia, mas olhou mesmo assim, e percebeu que ele era bem menor que os outros dois.
Era menos cheio. Não parecia que ia explodir.Pelo contrário.Parecia quase fraco.

Com a visão embaçada Alice viu sua alma abraçar aquele homem vazio e cheio.E ela gritou.
Se sua alma fosse destruída ela se tornaria ódio e vingança e nenhuma luz restaria dentro dela.
Gritou,gritou por que não queria , não podia suportar toda a escuridão do mundo dentro dela.
Mas gritar não adiantou.
A sua alma desapareceu dentro daquele homem vazio e cheio ao mesmo tempo.
O desespero tomou conta dela.
E agora ela era só ódio e escuridão.
As trevas estavam próximas.
E nunca queira senti-las. O horror é tão terrível que é quase impossível respirar.

Alice tinha que destruir aquele homem, que tinha se alimentado da sua alma, que devia ser pior do que os outros dois.
Então aniquila-lo era tudo o que importava

Começou a cortar seus pulsos para que as trevas se alimentasse do seu ódio e ela tivesse mais poder,
Incitar os homens a mais violências, guerras, abusos, discórdias.

Mas o homem continuava a caminhar em sua direção.
E ela parou tudo o que estava fazendo e se encolheu num canto.
Ela quis fugir.
Mas percebeu que não podia.

Então ela falou numa voz mansa e adocicada.Uma voz que Alice não reconheceu como sendo dela própria.
Ainda encolhida ela falou pro homem;
-Me deixe ir, eu te dou todo o poder que você quiser. O poder de manipular tudo e todos.
E conseguir tudo o que quiser.
Alice sentiu os dedos do homem em seu ombro;
– Olhe pra mim, Alice.

“… A voz vibrava.E uma imensa luz branca se espalhou e tomou conta de mim.

Eu olhei. E desmaiei…”

[Continua…]

Anúncios

Faça a Annie feliz! Comente ;)

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s